janeiro 31, 2012

GRAMAS - Como escolher?

Para um bom projeto de Paisagismo deve-se escolher o tipo de vegetação de acordo com as características do solo, clima e ensolação... além do uso que se dará naquele local. Para escolher o tipo de GRAMA não poderia ser diferente!
As gramíneas e forrações devem ser escolhidas com critérios. No Brasil temos alguns tipos mais comuns, alguns mais resistentes ao pisoteio, outros que são mais adequados à sombra, outros ao sol... e assim vai...

Vamos conhecer:
GRAMA ESMERALDA (a minha preferida):



Nome Cientifico: Zoysia japonica

Características: folhas estreitas e médias, cor verde-esmeralda e estolões penetrantes, que enraízam facilmente

Principais vantagens: forma um perfeito tapete de grama pelo entrelaçamento dos estolões com as folhas. Grande beleza. Folhas macias e resistentes ao pisoteio.

Principais indicações: ideal para jardins residenciais, áreas industrias, casa de praia e campo, playground e campos esportivos em geral, sempre a pleno sol.

Com origem japonesa, foi no Brasil que a grama esmeralda ganhou grande destaque e se tornou a variedade de maior sucesso em vendas. Por ser uma variedade de fácil manutenção ela se tornou a grama mais produzida e vendida por aqui, com grande beleza e ótimo custo beneficio a grama esmeralda pode se dizer que se tornou a "escolhida" pelo povo brasileiro.



GRAMA SÃO CARLOS


Nome Científico: Axonopus Compressus

Características: folhas largas, lisas e sem pelos, cor verde-intenso e com estolões ou estolhos ( caules rastejantes, que emitem de espaço em espaço, raízes para baixo e folhas para cima) abundantes.

Principais vantagens: adapta-se bem tanto em áreas ensolaradas, quantas semi-sombreadas. Crescimento pouco intenso para o alto, formando um gramado bastante denso. Resiste bem as pragas e ervas daninhas.

Principais indicações: jardins públicos e residências, áreas industriais e casas de campo, principalmente em regiões de clima mais frio
Antigamente no Brasil a grama São Carlos era a única variedade encontrada, grama para áreas sombreadas e frias essa variedade é muito utilizada em diversos projetos paisagísticos devido a sua grande beleza.
Essa espécie de grama é muito requisitada para lugares onde tem pouca presença do sol, mas vale lembrar que mesmo essa grama não tolera somente a sombra, um pouco de sol também é necessário.



GRAMA BATATAIS


Nome Científico: Paspalum notatum Flüegge
Conhecida como Batatais ou Mato Grosso

Características: Possui folhas estreitas, de cor verde claro, geralmente duras e ligeiramente pilosas, resiste bem às secas e pisoteio, evita a ação da erosão e forma gramados densos e baixos, apesar da resistência, a  Batatais precisa de muito sol, Deve ser plantada a pleno sol, pois não resiste à sombra. Pode chegar à altura de 30 cm, mas deve ser cortada sempre que ultrapassar 3 cm.
Pode ser cultivada em solos mais pobres, com adubações semestrais e regas regulares, embora tenha certa resistência à estiagem. Não é indicada para situações de sombra ou meia-sombra, devendo ficar a pleno sol.

Principais vantagens: Muito resistente ao pisoteio,crescimento rápido, considerada a grama de mais baixo custo.
Principais Indicações: Necessita de muito sol e é indicada em parques para a pratica de esportes diversos, campos esportivos, taludes, praças, e beira de rodovias.
A grama Batatais na maioria dos casos é extraída com ferramentas manuais de capina (enxada), pois os locais de onde fazem à extração desta grama, quase sempre são muito íngremes, impossibilitando a realização da colheita com o auxílio de maquinas.
Por esta razão o plantio dessa grama deve ser feita de maneira adequada para que a metragem entregue, seja compatível com a metragem plantada.



GRAMA BERMUDAS


Nome Científico: Cynodon Dactylon x C. Transvaalensis

Descrição: Grama para uso esportivo, a Bermudas que apresenta alta resistência ao pisoteio e rápida recuperação após ocorrência de dano. Com folhas de textura fina, tem um crescimento vertical médio e lateral intenso, formando um gramado denso. A Tifway 419 tem sido a mais popular grama esportiva dos últimos 40 anos nos EUA e em várias partes do mundo.

Aplicação: Campos de Golfe (Tees, Fairways e Roughs), Futebol, Pólo e campos esportivos em geral.

Características: Grama de clima quente que melhor se adapta a partir da latitude 45° até a latitude 0° (Equador). Entra em dormência após algumas geadas e recupera-se rapidamente quando a temperatura aquece mesmo no inverno. Gramados saudáveis suportam facilmente temperaturas de até 40º.

Resistência a Secas : Facilmente resistente a secas, 25 mm a 40 mm de água por semana são suficientes para um bom desenvolvimento do gramado. Bermudas sobrevive a até 12 mm de irrigação semanal, dependendo do tipo do solo.

Tolerância a pisoteio: Grama Bermudas tem a melhor recuperação de todas as gramas de clima quente. Regenera-se vigorosamente após a ocorrência do dano mecânico.

Resistencia A ervas Daninhas: Grama Bermudas tem um crescimento denso quando propriamente mantida, competirá eficientemente contra a presença de inços. Tolera aplicações de herbicidas seletivos.

Tolerância a Insetos: A Grama Bermudas demonstra boa tolerância a danos causados por insetos. Rápida recuperação após tratamento de controle.



GRAMA SANTO AGOSTINHO


Nome Científico:  Sthenotaphrum híbrida

Descrição: Grama indicada para o paisagismo. Caracteriza-se por ter folhas médias de cor verde levemente azulada. Forma um gramado denso e bonito. É a grama mais resistente ao sombreamento que, por sua rusticidade, é muito utilizada no paisagismo de áreas públicas no sul dos EUA.

Aplicação: Jardins, parques, áreas industriais e urbanas, região litorânea

Características: De todas as gramas de clima quente, é a mais resistente a sombra. Excelente rusticidade, ótima tolerância ao frio.

Resistência a Secas : Apresenta média resistência a seca.

Tolerância a pisoteio: Boa tolerância ao pisoteio. Não é recomendável para campos esportivos de alta performance.

Resistência: Resiste a ervas Daninhas, e boa tolerância a insetos 



GRAMA JAPONESA (ou Coreana)


Nome científico: Zoysia tenuifolia

Observações: Herbácea rizomatosa, perene, de 10 a 15 cm de altura, de folhas maciças e muito finas. Planta muito utilizada em campos de golfe.

Cultivo: Utilizada para a formação de gramados a pleno sol. O crescimento em altura é muito lento, reduzindo e espaçando o número de cortes. Forma um verdadeiro colchão quando não é podada.

Logo após a uma poda, possui o inconveniente de deixar exposta a ramagem inferior que não possui folhas, com aspecto de seca. Para evitar que isso ocorra, recomenda-se a poda freqüente, apesar de seu crescimento lento.
Não é muito resistente ao pisoteio e requer solo enriquecido e irrigação periódica.

Multiplica-se por divisão de touceiras. A nível comercial pode ser encontrada no formato de placas, devendo ser estendidas em terreno bem nivelado.



GRAMA PRETA


Nome Científico: Ophiopogon japonicus

A grama-preta ao contrário do que parece não é uma gramínea. Sem caule e com folhas finas e escuras, ela é uma excelente forração para áreas sombreadas. Há também uma variedade variegada, de folhas verde-amareladas, e uma variedade anã, de folhas mais curtas. 

Esta planta não suporta o pisoteio, em compensação não necessita ser aparada. Pode ser utilizada também como bordadura. Vendida comumente na forma de placas.
Deve ser cultivada sob sombra ou pleno sol, em solos férteis e bem drenáveis, enriquecidos com matéria orgânica, com adubações semestrais e regas regulares. Multiplica-se por divisão das touceiras. 



GRAMA AMENDOIM


Nome Científico: Arachis repens

A grama-amendoim é uma excelente forração, com textura diferente, ela dispensa as podas periódicas. Embora seja muito parecida com Arachis pintoi, é uma espécie distinta. Forma um denso colchão verde, com delicada flores amarelas.

É muito utilizada para proteção de taludes e como pastagem nutritiva, em alguns jardins rurais pode ter o incoveniente de atrair lebres. Rústica, embora não seja resistente ao pisoteio, possui rápido rebrote.

Deve ser cultivada a pleno sol ou meia-sombra, em solo fértil e preferencialmente enriquecido com matéria orgânica, com regas regulares. Tolera secas , mas não é tolerante à geada. Multiplica-se por divisão dos estolões enraizados e pelas sementes formadas embaixo da terra.



Agora é só escolher a grama correta para deixar seu jardim lindo!



Research: http://www.gramasparaiso.net/



Ótima semana a todos!

Daniela Prieto


janeiro 24, 2012

SCHLIERBERG, Bairro Solar em Freiburg - Alemanha

A Alemanha é um dos países a frente no quesito Sustentabilidade. Hoje venho mostrar este bairro incrível em Freiburg, que é capaz de produzir quatro vezes mais energia do que consome, provando que uma construção ecológica pode ser muito lucrativa!


Na Alemanha é possível produzir energia em casa através de placas solares por exemplo e revender a Companhia de Energia aquilo que não se usa, energia excedente. São necessários dois relógios, um que contabiliza a energia que aquela residencia produz e envia à Companhia e outro relógio que registra a energia que ela consome... 

O bairro é autossuficiente em energia e atinge isso através do seu projeto de energia solar, que utiliza painéis fotovoltaicos dispostos na direção correta. Parece uma estratégia simples mas, geralmente, os projetistas pensam nas instalações solares tardiamente, e dessa forma os painéis perdem parte de sua eficiência.


A vila, projetada pelo arquiteto alemão Rolf Disch, enfatiza a construção de casas e vilas que planejam as instalações solares desde o início do projeto, incorporando inteligentemente uma série de grandes painéis solares sobre os telhados. Os edifícios também foram construídos dentro das normas de arquitetura passiva, o que o permite produzir quatro vezes a quantidade de energia que consome.


O condomínio, com cerca de 11 mil m2, possui densidade média, tamanho balanceado, acessibilidade, espaços verdes e exposição solar.
Ao todo são 59 residências e um grande edifício comercial, chamado Solar Ship, que criam uma região habitável com o menor impacto ambiental possível. Nove das residências são apartamentos localizados na cobertura do edifício comercial. As residências multifamiliares possuem entre 75 e 162 m2.

Todas as casas são de madeira e construídas apenas com materiais de construção ecológicos. O conceito de cores foi desenvolvido por um artista de Berlim, Erich Wiesner.

As casas têm grande acesso ao aquecimento solar passivo e utilizam a luminosidade natural. Cada casa possui uma cobertura simples, com beirais largos, que permitem a presença do sol durante o inverno e protegem as casas durante o verão. Tecnologias avançadas como o isolamento a vácuo, aumentam o desempenho térmico do sistema da construção.
As coberturas possuem sistemas de captação de água da chuva. A água é utilizada na irrigação de jardins e nas descargas de vasos sanitários. Os edifícios também utilizam lascas de madeiras para o aquecimento no inverno, diminuindo ainda mais o impacto no ambiente.





As instalações permanecem livres de carros, graças à garagem abaixo do edifício comercial, onde é organizado um sistema de compartilhamento de automóveis. Simples, moderno, eficiente e Humano!

Mais imagens:









 






 

Na Alemanha e Inglaterra é possível encontrar diversos condomínios como esse... uso misto - residencial e comercial - que produzem sua própria energia e que promovem o conforto ambiental para os usuários...

Sem dizer no baixo impacto ambiental... Energia solar: limpa e renovável!

Research: http://exame.abril.com.br



Daniela Prieto





janeiro 18, 2012

VARANDAS - Garden on the Balcony

Todos conhecem minha paixão pelo Paisagismo... planejar um jardim não somente como uma área verde e permeável, mas também como um espaço de lazer e conforto, que inspire e relaxe, é uma tarefa para poucos... e ter espaço em um mundo cada vez mais vertical e sem quintal é mais dificil ainda!

Logo mais, serei mais uma adepta a moradia em apartamentos e deixarei de vez o quintal... 

Pensando nisso resolvi procurar inspiração em sacadas e varadas, encontrei não só vasos, cachepots, floreiras... como móveis lindíssimos... puro aconchego!

Vamos às imagens:

  Bananeiras ao fundo


 Aqui ele é o Rei: Bambú Mossô


 Pedrinha no chão


 Um quê de Oriental: Bonsai, bambú e água


 Jardim verdical com vários tipos de samambaias, avecas e chifre de veado


 Mais um jardim verdical ou parede verde


Iucas em vasos e mais verde na parede



Puro romance...

 Ofurô, ficus e cactus



 Pata de elefante (linda linda!)


 Floreiras com dracenas e Pandanus rasteiro



 Que tal uma mini-horta...



Iuca e Buchinhos (atenção para a iluminação, ela faz toda a diferença...)


 Ficus e Buchinho


 Que tal uma super-horta???


Vasos de diversas alturas e texturas...Palmeira Phoenix e Asplenios nas floreiras e Pacová nos vasos vietnamitas...


 Bambuzinho trançado


 Essa composição de volumes ficou perfeita!


 Essa imagem demonstra que não é necessário tanto espaço para ter um cantinho verde aconchegante e charmoso... decks e futons... Dracena tricolor no vaso e mais um jardim verdical!


 Dracenas, Pacová, Palmeira Phoenix... tudo em harmonia!


 Mais Dracenas, Pacová e Bambú mossô...


 Quase uma extensão da sala de estar, o verde ficou por conta das orquídeas na parede e sobre o móvel.


E se não há sacada, que tal um jardim de cactos sobre um aparador, mesa...


Para um paisagismo bacana e eficiente é sempre bom pedir orientação a um profissional. Há espécies por exemplo que são sensíveis ao vento, colocá-la na sacada pode não dar muito certo... Outras preferem o sol direto outras não gostam de sol... e assim vai...escolher o local ideal para cada plantinha, harmonizar volumes, cores e texturas... cuidado com as que possuem espinhos ou folhas muito ponteagudas... podem machucar!

Mas, e aí gostaram?? Inspirador né... já estou pensando no meu Balcony... rs! Um dia quando ele ficar pronto, prometo postar aqui!



Daniela Prieto



janeiro 13, 2012

MEDICAMENTOS - Descarte Consciente

O que voce faz com aqueles medicamentos que perderam a validade ou que voce não utiliza mais?? E as embalagens... vidros de xarópe, cartelas, bisnagas de pomadas, spray, bulas e caixas??

Confesso que até pouco tempo atrás, eu acabava jogando cartelas e frascos no lixo comum... bulas e caixas iam para a reciclagem.

Hoje me surpreendi em uma farmácia aqui de São Paulo... já existem postos de coleta desses resíduos! Todo material depositado é encaminhado para descartes adequados. Além de preservarem os lixões de eventuais contaminações, ainda evita-se que haja falsificações de embalagens desses medicamentos.




Este posto eu encontrei na DROGA RAIA da rua João Cachoeira x rua Iaiá, Itaim Bibi. Para voce encontrar o ponto de coleta mais próximo de voce acesse aqui: 

http://www.descarteconsciente.com.br/




E voce ainda pode acompanhar o volume de medicamentos que deixaram de ir para o aterro de lixo comum:



Muito bacana né?! Preparados para dar aquela "limpa" em casa e levar tudinho para locais adequados?? Fim de semana está aí... 



Ótimo fim de semana a todos!!



Daniela Prieto



janeiro 12, 2012

CONTROLAR controla o que?

Nós Paulistanos sofremos todos os dias com a falta de infra-estrutura e transporte público... além de perdemos horas e horas da nossa preciosa vida tentando se locomover na cidade, ainda perdermos nossa saúde tentando RESPIRAR!



Nessas horas engarrafada no transito perco a conta de quantos caminhões, vans, ônibus municipais e fretados passam por mim exalando uma fumaça negra que as vezes acho que irá me engolir...

Aqui na cidade de São Paulo, todos que possuem qualquer veículo seja velho ou novo são obrigados a passar por uma espécie de vistoria anual. Analisam a quantidade de CO2 eliminado do carburador, se estiver dentro dos padrões aceitáveis ganha um selinho!



Até acho bacana a idéia de CONTROLAR as emissões de gases e obrigar os motoristas a manter seus veículos em ordem. Porém, acho que há muito o que melhorar para começar a ser eficiente! Primeiro porque há quem burle a inspeção veicular e segundo porque milhares de carros que não são de São Paulo passam pela cidade todos os dias!

Alguém já viu frota de caminhões com placa de SÃO PAULO???
Eu raramente vejo. Porque hoje somente os veículos de São Paulo são obrigados a passar pela vistoria... e eu só vejo caminhões com placas de outras cidades, outros Estados circulando pelas ruas e Marginais.



Além dos caminhões que são movidos à DIESEL e que raramente conservam seus filtros, etc... há também os ônibus fretados! Impressionante como não há fiscalização... esses veículos de empresas PRIVADAS que levam e trazem pessoas  de diversos lugares para trabalharem diariamente na cidade... Fretado é NEGÓCIO em ascensão para uma megacidade, megalotada e sem transporte público! Só que a maioria dessas empresas não se importam nem um pouco com a manutenção desses veículos... fumaçona preta para todos os lados!



Frotas de empresas privadas como vans...



E Frotas de ônibus público também... ganhar uma licitação na Prefeitura é "Fácil", mas manter os ônibus em estado aceitável é difícil...



Eu sinto vergonha alheia desses motorista que se submetem a dirigir esses veículos... mas, me sinto mais envergonhada ainda com o Poder público que nada fazem, nada fiscalizam... vergonha com a maioria dos agentes da CET que trabalham com o bloquinho na mão e nada fazem para tirar esses veículos de circulação! Caos!

Mas, entre uma indignação e outra encontrei no website da CETESB local para denunciarmos tais veículos:




É necessário anotar a placa do veículo, o local, data e hora... e ainda voce pode colocar seus dados para receber o parecer da denúncia! Não sei se resolverá alguma coisa, mas coloquei um bloquinho e um lápis dentro da bolsa!

VAMOS DENUNCIAR!!! As pessoas e as empresas proprietárias desses veículos devem se responsabilizar por cada molécula de CO2 emitida e lançada na atmosfera... e nós cidadãos de bem que pagamos a taxa da inspeção e levamos nosso carrinho FLEX todos os anos para a vistoria, nós que pagamos nosso IPVA em dia, nós que muitas vezes optamos pelo METRÔ como forma de transporte, aos funcionários do GOOGLE que vêm para o trabalho de bike (rs!), nós moradores dessa cidade maluca... temos DIREITO ao OXIGÊNIO que respiramos!


Daniela Prieto