julho 05, 2012

PET - Eco Clothes

Acabei de perceber que estou mesmo engajada nas PET´s... Os últimos posts aqui no blog são sobre elas... Na realidade, é porque tenho pesquisado mais a respeito delas e tenho encontrado muita coisa legal e quero compartilhar com voces.

Vamos lá... hoje é dia de MODA no Gardens... Isso mesmo!!! Voce sabia que já existem tecidos sendo fabricados a partir de materiais recicláveis??

Vamos ver como funciona a reciclagem de PET para fabricação de tecidos:
O politereftalato de etileno (PET) das garrafas plásticas amolece com o calor e pode ser moldado novamente, por isso é altamente aproveitável na reciclagem. Para a indústria têxtil, são usados apenas os recipientes sem cor – nenhuma das camisetas é derivada de garrafas verdes. Depois que os catadores separam os artigos por cor, eles são higienizados e moídos. Só então passam por duas filtragens para retirada de impurezas e são fundidas a 300ºC.


Derretido, o material é transformado em fibras 20% mais finas do que o algodão. Esse material, transformado em poliéster, é misturado à malha das camisetas produzidas pela marca. “Todo mundo pensa que o tecido vai pinicar”, revela Vanda Ferreira, criadora da marca "Camiseta feita de PET". “Mas, por serem 50% poliéster, as camisetas são mais macias do que o algodão”.



Aqui alguns modelos:










As camisetas veem nesses saquinhos:


Além das camisetas, há também eco bags:



Na minha opinião:
Muito pertinente a proposta... produzir coisas com o mínimo de matéria prima possível e reutilizar materiais agressivos ao Meio Ambiente. Não sei avaliar quanto a produção... "aquecer o material a 300° e realizar duas filtragens" por exemplo, há um certo consumo de energia embutida nesse processo... está aí um bom exemplo para pesquisa da Pegada ecológica.

O que consome mais energia e recursos naturais??? Uma camiseta feita de PET ou uma camiseta convencional fabricada sem o uso de materiais recicláveis?? O que voces acham???

Mas, a proposta é boa!! Qualquer incentivo a reutilização e reciclagem de materiais é muito válido! Faz com que mais empresas pensem a respeito e desenvolvam tecnologias e processos cada vez mais sustentáveis- menos impactante ao Meio Ambiente!




Ótimo dia a todos!

Daniela Prieto

julho 03, 2012

DIY - Inspiração do dia - Casa de Boneca


Começou a brincadeira!! 

Queria voltar a ser criança para ter uma casinha linda dessas... e o melhor, fabricada com a reutilização de materiais recicláveis como a PET e o TETRAPAK no telhado (isolante térmico)!!

Uma linda terça-feira a todos!!

Daniela Prieto

julho 02, 2012

APP - Área de Preservação Permanente

Área de Preservação Permanente (APP) é a área protegida, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica, a biodiversidade, o fluxo gênico de fauna e flora, proteger o solo e assegurar o bem estar das populações humanas.

Atualmente, é definida ao longo dos rios ou de qualquer curso d’água uma faixa marginal cuja largura mínima será:



1) de 30 (trinta) metros para os cursos d’água de menos de 10 (dez) metros de largura;
2) de 50 (cinqüenta) metros para os cursos d’água que tenham de 10 (dez) a 50 (cinqüenta) metros de largura;
3) de 100 (cem) metros para os cursos d’água que tenham de 50 (cinqüenta) a 200 (duzentos) metros de largura;
4) de 200 (duzentos) metros para os cursos d’água que tenham de 200 (duzentos) a 600 (seiscentos) metros de largura;
5) de 500 (quinhentos) metros para os cursos d’água que tenham largura superior a 600 (seiscentos) metros;
Também são consideradas APPs, as áreas ao redor de lagoas, lagos ou reservatórios d’água (naturais ou artificiais) e nas nascentes, ainda que intermitentes e nos chamados “olhos d’água”, qualquer que seja a sua situação topográfica, num raio mínimo de 50 metros.

A preservação dessas áreas serve, entre muitas funções, para contribuir:
- com o controle da erosão, e consequente assoreamento do leito dos rios e de corpos d’água.

- para regularização do ciclo hidrológico, garantindo um maior equilíbrio entre infiltração, evapotranspiração e escoamento superficial.
- além disso, a mata ciliar presente nas margens dos rios também ajuda na manutenção da temperatura e da qualidade das águas dos mesmos. Sendo, então, sua preservação responsável por inúmeros os ganhos ambientais.

Simualção de Erosão em solos com vegetação e sem vegetação - assoreamento

ASSOREAMENTO: É o que ocorre quando as margens dos corpos d´agua estão desprotegidas. A falta de vegetação permite que a correnteza das águas desloque sedimentos do solo para o fundo do canal, diminuindo sua profundidade e alterando a qualidade da água.

Mas, o que o Novo Codigo Florestal propõe??


Além de outras coisas, o Novo Código Florestal  diminui faixa de APP de 30 metros para 15 metros em corpos d´agua de até 10 metros de largura.


Mata Ciliar margendo um rio - respeitando Codigo Florestal atual. Imagine essa mata reduzindo pela metade...



Rios e o Assoreamento, verdadeiros Crimes Ambientais:






Problemas Urbanos:



 Marinal Tietê, São Paulo:

 Poderia estar no "Cadê a arvore que estava aqui??" - Cadê a APP que deveria estar aqui???


São Paulo é um grande exemplo de como NÃO se deve lidar com os Recursos Hídricos. 90% dos rios paulistanos estão tubulados sob grandes avenidas, transformaram-se em esgoto. Av. 23 de Maio, Av. do Estado... entre milhões de outras.

E este é o SONHO:



Será possível uma Marginal respeitando o Rio Tietê???  e não o Rio respeitando a Marginal Tietê??


http://mdscarbon.no.comunidades.net/


Daniela Prieto