setembro 12, 2012

Jardins Aquáticos

Eu acho lindo jardins aquáticos, os grandes e principalmente os pequenos. Em vasos eles podem ser uma grande atração em varandas por exemplo. Podem ser cultivados em pequenos tanques e espelhos d´água também.

Os meus preferidos são em vasos circulares, parecendo uma bacia acomodado no piso, eles são lindos, decoram e trazem frescor aos ambientes e não requerem muito espaço. E acreditem, não necessitam muita manutenção, já que as próprias plantas cuidam da oxigenação da água.

...................................................................................................................................................................
MUITO IMPORTANTE: As dicas abaixo são para utilização em paisagismo particular e pequenos vasos. Nunca devemos cultivar em locais naturais como córregos, rios, lagos, etc. A planta pode modificar completamente as características naturais daquele meio biótico e tornar-se um vilão causando danos irreversíveis ao meio ambiente. Muitas tem propagação muito rápida.
.....................................................................................................................................................................


Vamos conhecer algumas plantas aquáticas:

MARREQUINHA (Salvinia sp) - Aquática e flutuante, de beleza delicada pode atingir até 15 centímetros de altura, multiplica-se rapidamente sendo de difícil controle. Folhas ovais, pilosas e sulcadas. Despoluidora, pode crescer em águas contaminadas. Deve ser cultivada em pleno sol.




BANANA D´ÁGUA (Typhonodorum lindleyanum) - É uma planta arbustiva, podendo atingir até 4 metros de altura. É semelhante a uma palmeira. Seu porte avantajado limita sua utilização em áreas pequenas. Vale lembrar que, todas as partes dessa planta são tóxicas e ela exala um aroma desagradável. Deve ser cultivada em sol pleno e manipulada somente com luvas.



VITÓRIA RÉGIA (Victoria amazonica) - Uma das plantas aquáticas mais conhecidas, a Vitória régia é nativa da Amazonia. Suas folhas circulares e flutuantes podem alcançar até 2,5 metros de diametro. As bordas elevadas revelam a face inferior espinhenta e avermelhada. Suas lindas flores, grandes e perfumadas surgem no verão e duram apenas 48hs. Cultivada apenas em sol pleno e águas de 29° a 32° de temperatura.



ALFACE D´ÁGUA (Pistia stratiotes) - Rústica e pouco exigente, é de rápida multiplicação e muito utilizada no paisagismo. Suas folhas são verdes-claras, de textura aveludada e muito ornamentais. Aprecia o calor e o sol e deve ser cultivada em água livre de cloro e outros produtos químicos. Como é flutuante não necessita substrato algum. Se a água for fertilizada com matéria orgânica se espalha rapidamente. Multiplica-se por separação das mudas que se formam em torno da planta mãe.




NINFÉIA VERMELHA (Nymphaea rubra) - Bastante ornamental, de folhas grandes e arredondadas, com bordas serrilhadas são flutuantes. As flores aparecem no verão e desaparecem no inverno. Não requer profundidade e podem ser cultivadas em vasos e espelhos d´água, sempre em pleno sol. Ainda existe a Ninféia Azul e a Alba.



JUNCO (Juncus effusus) - De folhas afiladas e cilíndricas, em forma de pequenas lanças verdicais de verde intenso.Pode ser cultivado em sol pleno ou meia sombra em profundidades de 5 a 10 centímetros e pode alcançar até 1,20 metros de altura. Muito utilizado no paisagismo e em vasos ornamentais.




LÍRIO AMARELO DO BREJO (Hedychium chrysoleucum) - De folhagem bastante vigorosa, folhas largas, numerosas e perfumadas flores abundantes na primavera e verão. No paisagismo são muito exuberantes, utilizadas em lugares muito úmidos ou alagadiços. Devem ser cultivadas sob sol pleno.



PAPIRO BRASILEIRO (Cyperus giganteus) - De hastes longas com uma cabeleira de folhas finas nas pontas. Muito confundido com o Papiro do Egito, este é nativo do Brasil. Devem ser cultivadas em sol pleno, sempre a beira d´água. Cria um efeito muito interessante no paisagismo.



SOMBRINHA CHINESA (Cyperus alternifolius) - Também da família Cyperaceae, de hastes longas e folhas nas pontas, desenvolve-se em sol pleno e meia sombra em solo muito úmido ou alagado. Cresce cerca de 1,5 metros de altura.



MURERÉ (Eichhornia paniculata) - De flores menores e delicadas, habitante natural de margens de rios e lagos do norte e nordeste do Brasil. A floração ocorre na primavera e verão.
Deve ser cultivada sob sol pleno, nas margens de tanques, lagos ou córregos, plantadas diretamente no solo ou em vasos preparados, fertilizados com abundante matéria orgânica. Também pode ser cultivada em terrenos baixos, encharcados, como várzeas. Não tolera o frio, ou correntes de água muito fortes. É considerada invasiva, devido à facilidade de propagação, sendo proibido seu cultivo em alguns lugares, como no estado da Florida nos Estados Unidos. Multiplica-se por sementes e por divisão das touceiras.



AGUAPÉ (Eichhornia crassipes) -  Planta aquática e flutuante o aguapé é muito ornamental. No entanto em algumas situações de superpopulação ela pode se tornar um problema em lagos. De folhas redondas, grandes e brilhantes o aguapé se multiplica rapidamente.No paisagismo, o aguapé é utilizado para povoar lagos e espelhos d’agua, favorecendo a vida aquática, principalmente os peixes. Deve ser cultivada a pleno sol em água com pH corrigido e naturalmente fértil. O próprio ciclo natural de um lago com peixes já é suficiente como adubação. Não tolera geadas e multiplica-se por divisão da planta.



Agora que já conhecemos algumas espécies, vamos nos inspirar com alguns jardins lindos??









 





E dica de como fazer o seu próprio jardim aquático:

Research: http://www.jardineiro.net/


Um grande abraço,
Daniela Prieto


Um comentário:

  1. alexandre pinto gontijooutubro 03, 2013 9:12 PM

    era tudo q eu queria p/dar inicio ao meu paisagismo molhado.o meu lago ja esta pronto.logo mando uma foto!

    ResponderExcluir